quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Feminilidade!




Após uma garrafa de vinho eles explodiram juntos num extase profundo seguido de um delicioso relaxamento.
Ele sai de cima dela e a puxa para cima de seu peito liso e forte.
Ela aninha-se nele de uma maneira aconchegante e sensual, sua respiração e os batimentos cardíacos dele estão no mesmo ritmo acelerado.
Ali ela se sente protegida e satisfeita, porém não por muito tempo.
Não tinha como não sentir sua intimidade formigar ao olhar para os lados e se deparar com aqueles braços fortes com as veias saltadas lhe acariciando os cabelos.
Adorava se sentir daquela maneira, sentia-se mais feminina, mais mulher.
Ele chegava mais perto de seu rosto e lhe beijava a testa, o rosto, a pontinha do nariz.
Os pés se acariciando, as pernas entrelaçadas, o cheiro de suor e tesão tomava conta do cômodo.

Ela se encaixou nele, de modo que se apoiasse em sua coxa, possibilitando um leve movimento de vai e vem.
Ele foi despertando lentamente do estado de nirvana, como se todas as suas celulas o chamassem de volta para a realidade e para o que estava prestes a acontecer novamente. E novamente.
Em questão de segundos, ela o sentiu pulsar em seus quadris. Estava muito rígido. Parecia coberto com um delicado tecido macio, seda. Por baixo daquela seda, encontrava-se sua masculinidade, gritando e implorando por ela.
Com um movimento sutil, ela pegou-lhe a mão e a colocou em um de seus seios.
Para dar fim ao sofrimento dele, ela se senta e, perfeitamente, se encaixa, dando uma sensação de alívio a ambos. Como se fossem agora, um só.

Questão de pele, química, encaixe.
Tudo era perfeito.

Novamente após o extase, ele a puxa com apenas um braço e novamente a acomoda em si.
Os braços tão fortes e masculos lhe fazem carinho com muita ternura.
Afasta a franja da testa dela e baixinho lhe pergunta: "Está confortável?".

2 comentários:

Driks disse...

Boa sorte gata, vai dar tudo certo!

Mil beijos flor

Mell disse...

Meldels mesmo hem!
Haja folego...ulálá (rs).