quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Mais...


Após meses de espera finalmente acontece.
Ela recebe a ligação e sem rodeios ele a convida pra sair. Só os dois.
"Vamos tomar um drink?", ele sugere.
"Está ótimo!!!".

Uma hora e meia depois eles estavam sentados no bar.
Animados, conversando, se conhecendo e bebendo.
Ela estava ansiosa pra receber aquele beijo que havia provado meses atrás.
Enquanto ele falava, ela imaginava quando ele iria beija-la.
Ele contava algo sobre um dia que estava em uma festa e depois algo sobre o mar.
Para ela, palavras desconexas, frases sem sentido.
Não que não tivesse interesse nele. O problema talvez, fosse o excesso de interesse.
Interesse em tê-lo, em toca-lo e após satisfeita, poderia passar a noite o ouvindo contar sobre sua vida.
Havia tempo que não tomava uma dose dele. Estava em abstinência.

Alguns drinks depois e infância detalhadamente discutida, eles estavam mais próximos.
Os braços por cima da mesa se encostavam levemente e dava choque.
As mãos dele com as palmas pra cima.
"Bom sinal!", pensava ela.

Dado momento o assunto acabou.
Ele a olhou.
Ela segurou seu olhar uns segundos e olhou pra baixo...passou seu dedo indicador delicadamente na haste da taça e tornou a olha-lo nos olhos.
Notou que ele não havia desviado o olhar e agora a olhava nos lábios.
Instintivamente ela passou a língua pelos lábios afim de umedece-los.
Ele chega perto de seu rosto.
Ela pode sentir seu hálito, sua respiração.
"Vamos para outro lugar?", ele a convida.
"Como não?", pensa consigo mesma.

Ele a conduziu até sua casa.
Estava tudo quieto e escuro.
Seu cheiro estava impregnado no ambiente.
Uma música pudia ser ouvida de fundo, talvez viesse da casa de algum vizinho.

A essa altura a expectativa era enorme.
Ela não pudia mais esperar para tê-lo. Fazia tanto tempo que esperava por aquilo.
Começaram a se beijar em pé no meio da cozinha.
Ele tirou a camiseta e a puxou perto de si.
Seu corpo não era tão musculoso mas não deixava de atrai-la.
Era sexy por si só.
Tinha as costas largas e o ante braço definido.
Um arrepio tomou conta dos dois.
Ela sabia que ele queria aquele momento tanto quanto ela. Ou até mais.
Em meio aos beijos, olhares.
Tudo parecia em camera lenta.
Ergueu seu vestido e ali mesmo em pé no meio da cozinha tiveram juntos o primeiro dos muitos orgamos que teriam naquela noite.

Foi tudo exatamente da forma que ela imaginava.
Desde que o conheceu sabia que não seria diferente e não iria descansar até conseguir o que queria.
E conseguiu.
E dessa vez, queria conseguir mais.

2 comentários:

Driks disse...

Nossa quem foi a sortuda, vc?
Espero que sim!
Ai que descricao mais caliente, digna de um post.

bjs

Sil disse...

Eita que eu gostei por demais desta história em ....

=)